26/10/2017

Carris vai adquirir 30 elétricos

facebook.com/transportesonline
A Carris tem 10 elétricos articulados
ao serviço da carreira 15E,que foram
adquiridos entre 1995 e 1996.
O presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, anunciou durante a cerimónia de tomada de posse, a intenção da autarquia adquirir 30 novos elétricos para a Carris durante os próximos 4 anos.
Os novos elétricos servirão para reforçar a operação da linha 15E que atualmente tem uma taxa de procura superior à capacidade de oferta, e cujo percurso será prolongado numa primeira fase à Estação de Santa Apolónia, e no futuro à Estação do Oriente.
Prevista está a retoma do percurso do elétrico 24 entre o Cais do Sodré e a Estação de Campolide.
Os atuais 10 elétricos articulados que operam exclusivamente na linha 15E terão uma vertente mais turística.
Não são conhecidos os valores estimados de investimento, mas as obras de extensão do elétrico 15 a Santa Apolónia, bem como a reposição do percurso do elétrico 24 já estão no terreno. Atualmente, Lisboa tem 5 carreiras de elétrico em operação.

11/10/2017

Barraqueiro ganha subconcessão do Metro do Porto

facebook.com/transportesonline
O Grupo Barraqueiro ganhou o contrato de subconcessão do Metro do Porto para um período de 7 anos, a iniciar em Abril de 2018.

A Barraqueiro que é o atual concessionário do Metro do Porto através do consórcio ViaPorto, ganhou o concurso público internacional lançado a 23 de Junho para um período de 7 anos, a terminar em 31 de Março de 2025. O preço base da operação é de 221 milhões de euros, sendo que o preço mais baixo era o único critério de adjudicação.
Ao contrário dos contratos anteriores, o subconcessionário terá agora mais obrigações que passa pela manutenção do material circulante, sistema de bilhética e sistemas técnicos como elevadores e escadas rolantes. A expansão do Metro do Porto a Vila d’Este e a nova linha rosa já está incluída no contrato.
Em segundo lugar ficou o consórcio Mota Engil/MGC Transportes (Mota Engil faz parte do atual consórcio que opera o Metro juntamente com a Barraqueiro), e em terceiro lugar a espanhola Avanza. Concorreram ainda a Transdev que operou o Metro entre 2002 e 2010 e que venceu o concurso lançado pelo anterior governo e entretanto anulado pelo atual executivo, e ainda a Neopul e a DST - Domingos Silva Teixeira.
O contrato de subconcessão terá ainda de ser validado pelo Tribunal de Contas, o que deverá ocorrer até ao final do ano.

Atualização!

A Metro do Porto confirmou hoje o Grupo Barraqueiro como vencedor por um preço de 204,3 mihões, 297 mil euros abaixo da proposta da Mota Engil/MGC Transportes que apresentou uma proposta para gerir o Metro nos próximos 7 anos por 204,7 milhões de euros.

Noticia atualizada às 18:30h de dia 17 Outubro 2017


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Custom Search