31/10/2008

Carris e STCP reforçam serviço para cemitérios


Este ano no dia dos Fiéis Defundos, a Carris e a STCP reforçam as linhas que servem os cemitérios. Assim, a Carris em Lisboa reforçará as seguintes carreiras:
para o cemitério da Ajuda 727 - Roma Areeiro/Restelo, 60 - Olaias/Cemitério da Ajuda, 18E - Sto. Amaro/Cemitério da Ajuda

para o cemitério do Alto S. João:

718 - Isel/Amoreiras, 742 - Bº Madre Deus/Casalinho Ajuda

para o cemitério de Benfica:
24 - Alcântara/Pontinha, 767 - Campo Mártires da Pátria/Damaia, 765 - Colégio Militar (Metro)/Benfica

para o cemitério de Carnide:
768 - Cid. Universitária/Cemitério de Carnide

Lumiar:
3 - Charneca/Bº Sta. Cruz

Olivais:
708 - M. Moniz/Pq. Nações Norte, 79 - Centro Comercial Olivais (Circulação)

Prazeres:
701 - Charneca/Campo Ourique, 709 - Terreiro Paço/Campo Ourique, 74 - Rua Alfandega/ Gomes freire, 28E - M. Moniz/Campo Ourique

Por seu turno a STCP reforçará as seguintes linhas:

Linha 201 - Sá da Bandeira/Viso
Serve os cemitérios de Agramonte e Aldoar.
Reforço de frequência - 20/20 minutos todo o dia.

Linha 204 - Hospital São João Foz
Serve os cemitérios de Paranhos, Agramonte, Lordelo do Ouro e Foz do Douro.
Reforço de frequência - 20/20 minutos todo o dia.

Linha 207 - Campanhã/Mercado da Foz
Serve os cemitérios do Prado do Repouso, Agramonte, Lordelo do Ouro e Foz do Douro.
Serviço especial - 30/30 minutos todo o dia.

Linha 305 - Cordoaria/Hospital de São João
Serve os cemitérios de Paranhos, Bonfim e Prado do Repouso.
Reforço de frequência - 20/20 minutos todo o dia.

Linha 400 - São Bento/Azevedo
Serve os cemitérios de Campanhã, Bonfim e Prado do Repouso.
Reforço de frequência - 20/20 minutos todo o dia.

Linha 505 - Hospital São João/Matosinhos (mercado)
Serve os cemitérios de S. Mamede de Infesta, Leça do Balio, Custóias, Guifões, Sendim, Matosinhos.
Reforço de frequência - 30/30 minutos todo o dia.

Linha ZM - Zona Massarelos
Serve o cemitério de Agramonte.
Serviço especial - 30/30 minutos todo o dia.

29/10/2008

AML com "transporlis" acessivel em quiosques multimédia

O sistema de informação e simulação de percursos das empresas de transportes públicos da Área Metropolitana de Lisboa, passou a estar acessivel nos quiosques multimédia dos concelhos abrangidos pelas transportadoras da região de Lisboa.
O sistema também acessivel através do portal www.transporlis.sapo.pt já está a funcionar em algumas áreas como aeroporto de Lisboa, Gare do Oriente, estação de Moscavide, Sete Rios, estação de metro do Sr. Roubado e Odivelas, estação da CP de Moscavide e sede do IMTT.
O terminal será alargado progressivamente a outras áreas com forte procura.

Metro sem propostas para carruagens

A três dias do fim do prazo, ainda nenhuma empresa entregou propostas para o material circulante do Metro Mondego, embora ainda o devam fazer algumas das seis empresas internacionais que levantaram o caderno de encargos.
"Não sei se todas vão concorrer, mas tenho a expectativa de que algumas apresentem propostas", disse ontem à agência Lusa o presidente da sociedade Metro Mondego, Álvaro Maia Seco, referindo que é normal as empresas apenas apresentarem as propostas no final dos prazos.
A Metro Mondego confirmou que levantaram o caderno de encargo as empresas Bombardier (Canadá), Alstom Transporte (França), CAF (Espanha), Vossloh (Alemanha), Siemens(Alemanha) e a Ansaldobreda (Itália).
O concurso, que termina esta sexta-feira, prevê o fornecimento de 20 a 22 veículos para o serviço suburbano, com um prazo de entrega de 26 meses, assim como mais 16 a 20 composições que circularão na cidade de Coimbra, num investimento que ronda os 60 milhões de euros.
Os veículos, com 43 metros de comprimento máximo, são "modernos, de design atraente e confortáveis" e têm capacidade de aceleração e velocidades máximas compatíveis com os dois serviços.
A aquisição do material circulante destina-se ao Sistema de Mobilidade do Mondego(SMM) que prevê a instalação de um metro ligeiro de superfície do tipo "tram-train" -com capacidade para circular nos eixos ferroviários, urbanos, suburbanos e regionais - no Ramal da Lousã, entre Coimbra e Serpins (Lousã), e na cidade de Coimbra.
Luís Ramos, director da Bombardier, garantiu à agência Lusa que "estão a trabalhar na elaboração de uma proposta", salientando que a empresa "tem tecnologia e várias soluções para diferentes situações".
Sem adiantar mais sobre o assunto, o responsável sublinhou que a Bombardier é "líder mundial no transporte de metro", com vários tipos de soluções em muitas cidades da Europa e no metro do Porto, onde concebeu dois tipos de veículos.
A Siemens confirmou também à Lusa o levantamento do caderno de encargos do concurso, mas escusou-se a prestar mais esclarecimentos.
"A única coisa que posso dizer é que estamos em fase de preparação de proposta", referiu uma fonte oficial da empresa.
De acordo com Álvaro Maia Seco, deverão existir algumas diferenças técnicas ao nível do "desenho interior" dos veículos, com as carruagens destinadas ao transporte suburbano a apresentarem maior número de lugares sentados.
"O aspecto visual deverá ser muito semelhante, com os veículos a pertencerem à mesma família mas com características um pouco diferentes. É dada uma margem de liberdade aos fabricantes que será depois analisada pela equipa de avaliação técnica", frisou.
A adjudicação do material circulante, segundo o presidente da Metro Mondego, deverá ocorrer ainda no primeiro trimestre de 2009.
Álvaro Maia Seco adiantou ainda que falta apenas a autorização da tutela para lançar o concurso relativo ao troço Serpins-Miranda do Corvo, no Ramal da Lousã, que vai constituir a primeira intervenção naquele canal ferroviário.
"Tenho a expectativa de que, no máximo, dentro de uma ou duas semanas seja lançado o concurso", garantiu o responsável, acrescentando que o mesmo está também dependente de um entendimento com a Câmara de Coimbra que "está por dias".
O projecto do SMM, que representa um investimento global da ordem dos 285 milhões de euros, deverá estar a funcionar entre Serpins e a cidade de Coimbra (junto à Portagem) em Fevereiro de 2011, prevendo-se a ligação a Coimbra B em Outubro do mesmo ano.

in: jn.sapo.pt secção "Coimbra" de 29 Out/08

28/10/2008

Bilhetes da Ryanair a 1 euro


A Ryanair vai inaugurar quatro novas rotas a partir de Faro, para: Liverpool, Glasgow, East Midlands e Dusseldorf.
Para assinalar o facto, a empresa colocou à venda através do seu site, um milhão de bilhetes a 1€ com tudo incluído, válido não só nestas novas rotas, mas nas cerca de oitocentas que a companhia irlandesa opera em toda a Europa.
Actualmente, a Ryanair opera a partir de Faro para: Londres, Shannon, Bruxelas, Dublin e Frankfurt.
A promoção é válida até às 24h. de quinta-feira, para voos a realizar entre 11 de Novembro e 31 de Janeiro.

Europa: 100 milhões para o metro do Porto


O metro do Porto vai receber 100 milhões de euros de fundos de investimento do Fundo Europeu de Desenvolvimento.
No quadro do desenvolvimento regional, o FSE apoiará o desenvolvimento de rede ferroviária ligeira, sendo a obra de desenvolvimento do metro do Porto faseada até 2022 em duas fases de construção, com um investimento total estimado em 1,5 mil milhões de euros.
Para o efeito, a Comisão de Coordenação de Desenvolvimento da Região Norte (CDDRN) deverá apresentar uma candidatura a este fundo nos próximos dias.

27/10/2008

easyJet liga Lisboa e Funchal a partir de hoje


A companhia britânica de baixo custo easyJet inicia hoje voos regulares entre Lisboa e o Funchal.
São dois voos diários com partida de Lisboa pelas 7h35 e com chegada prevista ao Funchal para as 9h15, e um segundo com descolagem prevista para as 16 horas e chegada à Madeira cerca de uma hora e quarenta e cinco minutos mais tarde.
A easyJet que disponibiliza voos a partir dos 25.99€, pretende captar mais clientes do Continente para a Madeira, dado que dispõe de tarifas cerca de quatro vezes mais baixas que a TAP.
Esta rota é a primeira ligação interna a ser operada por uma companhia low-cost.
Até ao momento a easyJet disponibilizava ligações entre o Funchal e Bristol, e ainda aos aeroportos de Londres Gatwick e Londres Stansted, a que se junta a partir de hoje a ligação para Lisboa.

18/10/2008

Metro do Porto lança serviço de informação sobre parques de estacionamento em tempo real na rádio

A partir da próxima segunda-feira, dia 20 de Outubro, o Metro do Porto, em parceria com a Rádio Nova, lança um serviço totalmente inovador: a informação de parques estacionamento na rede do Metro. Com este novo serviço, os automobilistas passam a saber, simultâneo com a informação de trânsito e em tempo real, onde podem estacionar o carro e prosseguir viagem de Metro.

Esta parceria Metro do Porto/Rádio Nova tem contornos inéditos em Portugal e visa reforçar o potencial da rede de parques de estacionamento do Metro – mais de 2.600 lugares em toda a Área Metropolitana –, oferecendo aos cidadãos informação real sobre capacidades, lotações e tempo de viagem, de Metro, entre cada parque e o centro do Porto.

Difundida em simultâneo e em articulação com a habitual informação de trânsito, nas manhãs da Rádio Nova, em 98.9 FM, entre as 7H00 e as 10H00, todos os dias úteis, o ponto de situação dos parques de estacionamento do Metro do Porto permitirá racionalizar a sua ocupação, conduzindo os automobilistas às melhores soluções de deslocação, em articulação com os condicionamentos de trânsito existentes. A informação Metro remeterá para os parques de estacionamento situados nas imediações de cada congestionamento rodoviário, permitindo aos automobilistas estacionarem o seu carro, tomarem o Metro e chegarem mais rapidamente ao seu destino,

Contribuindo para uma melhor mobilidade na Área Metropolitana, esta parceria entre o Metro do Porto e a Rádio Nova garante acesso directo a informação sobre os 24 parques de estacionamento do Metro, situados ao longo das 5 linhas da rede. Os parques Metro, que tem uma capacidade global de 2.602 lugares, estão abertos em horário contínuo e são gratuitos (à excepção do ParqueMetro da Estação Estádio do Dragão, cuja tarifa intermodal é de € 0,65 por cada 12 horas de estacionamento).

in: www.metrodoporto.pt

Estudo defende antecipação de metro em Vila D'Este

A chegada do metro a Vila d'Este não deve ser adiada para 2022. O especialista Álvaro Costa e o Instituto de Mobilidade e dos Transportes Terrestres defendem a antecipação para a segunda fase de desenvolvimento da rede.
A calendarização desta ligação no plano de expansão da rede do metro contraria, para além do estudo da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (coordenado por Paulo Pinho), as análises da TRENMO, executadas pela equipa de Álvaro Costa, e do Instituto de Mobilidade. Dias antes da apresentação da proposta da Comissão Executiva da Empresa do Metro aos autarcas, foram pedidas duas análises à proposta em cima da mesa, mas não conduziram a qualquer alteração.
O parecer da TRENMO é mais incisivo do que o do instituto. A equipa, coordenada por Álvaro Costa, não tem dúvidas de que a localização do término da Linha Amarela em Laborim merece "breve reflexão quanto à razoabilidade de ponderar o prolongamento até Vila d'Este", dado que a construção de um troço com 1,1 quilómetros levará o metro a uma área com mais de 30 mil habitantes, "com características socio-demográficas que induzem uma forte propensão para a utilização de transportes públicos".
No entanto, este argumento de maior cobertura de uma população carenciada, válido para a opção Campo Alegre em detrimento da Boavista (foi uma das principais razões apontadas pela Comissão Executiva da Metro), foi ignorado no caso de Vila d'Este. A extensão da Linha Amarela a Laborim trará mais 273 utentes por hora à rede no período de ponta da manhã. Se também for a Vila d'Este resultará num acréscimo de 933passageiros.
O instituto, tutelado pelo Ministério das Obras Públicas e que validou a proposta da Comissão Executiva, considera que, embora a extensão a Vila d'Este esteja "dependente da solução que vier a ser definida para o novo Centro Hospitalar Gaia-Espinho, poderá justificar-se antecipá-la para a segunda fase". De resto, faz a defesa da proposta e, em particular, da ligação entre Campanhã e Gondomar por Valbom por servir "zonas mais densamente ocupadas, captando mais passageiros do que o traçado a partir da Venda Nova"; e do corredor do Campo Alegre em vez da Linha da Boavista.
Considera que a ligação pela Boavista cobriria, parcialmente, a zona Ocidental da cidade, ficando "por servir toda a zona da Foz até ao centro do Porto". Contudo, os traçados das duas linhas não teriam apenas o troço inicial à saída de Matosinhos em comum. Ambas serviriam o pólo universitário do Campo Alegre. Prolongadas até S. Bento, as duas linhas teriam uma paragem junto à Faculdade de Letras, seguindo pelo Palácio de Cristal e Cordoaria.
Daí que Álvaro Costa aponte, como vantagem comum às duas ligações, a "passagem no troço de maior procura (Faculdade de Letras - S. Bento)" e o número semelhante de passageiros por quilómetro. Aliás, o especialista não indica a sua preferência na referida análise, enunciando as vantagens das duas ligações. Em comum, possuem, ainda, o tempo de viagem e o custo de construção.
O canal do Campo Alegre serve mais residentes e populações carenciadas, abre caminho à construção da Via Nun'Álvares e requalifica a Rua de Diogo Botelho. Já o traçado da Boavista reabilitaria a avenida, contribuindo para a afirmação como "business district" do Porto, até porque teria maior cobertura de emprego.

in: jn.sapo.pt secção "Porto" de 18 Out/08

17/10/2008

Concurso para novo aeroporto poderá ser lançado em Abril

O ministro das Obras Públicas mostrou-se, esta sexta-feira, convicto de que o concurso público para a construção do novo aeroporto de Lisboa, no Campo de Tiro de Alcochete, pode ser lançado em Abril
«A NAER trabalha com uma meta e quer entregar ao Governo toda a documentação que está a preparar com as suas propostas para o Executivo apreciar e tomar uma decisão, para que até ao final do primeiro trimestre tudo esteja pronto e o Governo lance o concurso a partir de Abril», disse Mário Lino.
Quarta-feira, o presidente-executivo da NAER, responsável pela construção do aeroporto, admitiu que o concurso público pode ficar concluído sem que esteja emitida a declaração de impacte ambiental.
Hoje, em Santarém, o ministro das Obras Públicas esclareceu as hipóteses em aberto, entre elas uma pré-qualificação de concorrentes, onde não é preciso a declaração de impacte ambiental.
«Agora, tudo aquilo que exige uma aprovação prévia de um estudo de impacte ambiental, será feita», assegurou.

in: tsf.sapo.pt secção "Portugal" de 17 Out/08

15/10/2008

Aeroporto no centro poderá vir a ser realidade

Transformar a base aérea de Monte Real num aeroporto civil de baixo custo, é a ideia defendida por empresários e autarcas da região centro.
Uma ideia antiga que ganha força com a construção do novo aeroporto em Alcochete substituindo a Ota.
Potenciar e economia do centro com a abertura ao tráfego civil parece agradar a gentes, politicos e empresários, defendendo que esta seria uma solução rápida e barata, e com ganhos.
O governo admite vir a estudar a solução.

10/10/2008

Metro do Porto com novos parques

O Metro do Porto disponibiliza mais três parques de estacionamento junto às estações de Mandim, Castêlo da Maia e ISMAI. Com estes novos parques, a empresa aumenta em cerca de trezentos os lugares disponiveis para o sistema "Park&Ride", abrangendo no total 2602 lugares.

09/10/2008

STCP: Greve marcada por 26 horas


Os trabalhadores da STCP convocaram uma greve que começa às 0:00h. de dia 10, e terminas às 2:00h. de dia 11.
Em causa, está segundo o Sindicato Nacional dos Motoristas (SNM) e no Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários e Urbanos do Norte (STRUN) que representam cerca de 90% dos trabalhadores da empresa, a "discriminação" dos trabalhadores filiados naqueles dois sindicatos por parte da administração da empresa.
Segundo Jorge Costa, de um dos sindicatos, a empresa acordou com o Sindicato dos Transportes da Área Metropolitana do Porto e o Sindicato dos Escritórios aumentos de 2% e subidas nas carreiras, mas os inscritos SNM e STRUN beneficiaram apenas da actualização salarial, afirmou.
A greve foi decidida em plenário no passado dia 23 de Setembro.
Os títulos monomodais da STCP são válidos no metro e na CP.

01/10/2008

Carris apresenta mob carsharing

A Carris deixou definitivamente de ser uma empresa que transporta passageiros em autocarro, para passar a ser uma empresa especialista em soluções de mobilidade. Esta é uma das conclusões obtidas após a apresentação do projecto Mobcarsharing, que recentemente entrou em funcionamento. Baseado no conceito de carsharing, que já existe um pouco por todo o mundo, a Carris, através da sua participada, Carristur, é pioneira em Portugal na introdução deste tipo de opções de mobilidade. Segundo a empresa “o Mobcarsharing é um novo sistema de mobilidade urbana, baseado na complementaridade com o transporte público”. Como se faz essa complementaridade? Através do aluguer de automóveis, permitindo assim o uso de um veículo por múltiplos utilizadores que poderão dispor do mesmo quando necessário, sem que para isso tenham que o adquirir, beneficiando de uma clara vantagem na sua utilização. Esta solução é a mais indicada para as pessoas/entidades que habitualmente não fazem mais de 15 mil quilómetros por ano, necessitando do automóvel apenas ocasionalmente. Segundo estudos da UITP, efectuados em outros países onde já existe o carsharing, para além de se verificar um aumento do número de passageiros do transporte público, cada veículo neste sistema permite substituir entre quatro a dez viaturas particulares e, consequentemente, reduz a ocupação do espaço urbano, o congestionamento, a emissão de gases, o consumo de energia. O modo de funcionamento do Mobcasharing é bastante simples: em primeiro lugar tem de se registar como membro do Mobcarsharing, posteriormente o cliente tem á sua disposição um leque de veículos distribuídos por vários parques de estacionamento em diversos pontos da cidade. A reserva dos automóveis poderá ser feita através do site www.mobcarsharing.pt ou de uma linha de atendimento disponível para o efeito. Depois de confirmada a reserva, o cliente deve dirigir-se ao parque escolhido, colocar o cartão Lisboa Viva junto ao campo de leitura de cartões para abrir o veículo, confirmar dentro do automóvel os códigos de reserva e iniciar a sua viagem.

in: www.transportesemrevista.com/arquivo_passageiros de 1 Out/08
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Custom Search