30/07/2008

Linha do Oeste será totalmente requalificada

A linha ferroviária do Oeste, que liga Figueira da Foz a Lisboa (Cacém), vai ser requalificada em toda a extensão aumentando a velocidade dos comboios que servirão para transporte de passageiros e de mercadorias.

"Vamos fazer a requalificação efectiva e integral da linha do Oeste que se destina a passageiros e a mercadorias", afirmou a secretária de Estado dos Transportes, Ana Paula Vitorino.

"Há uma zona em que o transporte suburbano de Lisboa é o mais importante, mas há outras zonas em que o transporte ferroviário regional é o mais importante e há outras ainda em que o mais importante são as mercadorias", explicou a governante.

"Todas estas valências são extremamente importantes e devem ser preservadas em toda a linha".

Para isso e para aumentar a velocidade da antiga linha, onde há décadas não se fazem grandes investimentos, adiantou que será feita a electrificação, eliminação de passagens de nível e rectificações de traçado.

Ana Paula Vitorino acrescentou ainda que vai ser estudada "uma nova amarração ao sistema ferroviário da Área Metropolitana de Lisboa, ou seja, no último troço da Linha do Oeste (entre Malveira e Lisboa) vão ser feitos estudos de alternativas de traçado".

A secretária de Estado dos Transportes foi um dos elementos do Governo que participou na elaboração do Plano de Acção para a zona Oeste que surgiu após a decisão de abandonar a Ota como localização do novo aeroporto de Lisboa.

A elaboração do documento, dado por concluído na sexta-feira, foi feita em conjunto por Governo e autarcas da região, tendo como coordenador o ministro das Obras Públicas, Mário Lino.

A secretária de Estado dos Transportes remeteu mais informações acerca do futuro da ferrovia da região para a altura do anúncio oficial de todas as medidas previstas no plano, que deverá ocorrer em Setembro, após a sua aprovação em conselho de ministros.

A modernização da linha do Oeste era uma das principais e mais antigas reivindicações dos autarcas da região. Os comboios, por falta de investimento, perderam competitividade relativamente à auto-estrada.

No caso da ligação entre Torres Vedras e a capital os horários dos comboios não são compatíveis com os dos empregos e demoram o dobro do tempo a chegar a Lisboa comparativamente à auto-estrada.

in: publico.clix.pt secção "Local" de 30 Jul/08

29/07/2008

Veículos hibridos para os Açores

O Governo Regional dos Açores pretende que, até 2010, cerca de um terço da frota de autocarros e táxis da região seja composta por veículos híbridos, híbridos plug-in e eléctricos. Segundo Carlos César, este é um dos principais objectivos do Governo Regional, que apela ainda à população açoriana para um maior uso deste tipo de transportes. O presidente do Executivo açoriano, que discursava durante a inauguração da via rápida que passou a ligar a Lagoa à Ribeira Grande, na ilha de S. Miguel, referiu ainda as vantagens ambientais associadas à utilização dos transportes públicos, admitindo que o aumento continuado da melhoria da qualidade de serviços prestados nesta área “não tem tido uma resposta condizente em termos do aumento da procura”. Ao anunciar a apresentação em breve do Plano Estratégico para a Energia nos Açores, Carlos César garantiu a aposta estratégica num maior recurso à electricidade, alegando que “neste sector é mais fácil a produção a partir de fontes renováveis ou de recursos endógenos”.

in: www.transportesemrevista.com/arquivo_passageiros de 29 Jul/08

28/07/2008

TUB recebem 5 novos autocarros

Os Transportes Urbanos de Braga (TUB) receberam 5 novos autocarros prontos a entrar ao serviço. O investimento ascende a cerca de meio milhão de euros, e tem como principal objectivo melhorar a qualidade do transporte público da cidade.

Horários de Verão do Metro do Porto


Entram em vigôr os horários de Verão do Metro do Porto, válidos até ao inicio de Setembro.
Entre as principais alterações, a necessidade de transbordo dos passageiros da linha "A" (Sr. de Matosinhos - Estádio do Dragão)a partir das 22h até ao final do serviço, para as linhas Verde "C", ou Violeta "E", dado que a operação da linha azul "A", passa a ter como término a estação da Trindade.
A linha vermelha "B", que liga o Estádio do Dragão à Póvoa de Varzim deixa de realizar o serviço expresso.
A linha verde (Estádio do Dragão - ISMAI) passa a ter uma frequência de 15 minutos nos períodos entre as 10h e as 16h, nos serviços com término na estação Fórum da Maia, e de 30 minutos para os términos na estação do ISMAI.
As linhas amarela (Hosp. São João - D. João II), e violeta (Estádio do Dragão - Aeroporto) mantêm os actuais horários, bem como o tronco comum das linhas, azul, vermelha, verde e violeta entre o Estádio do Dragão e a Sra. da Hora.

27/07/2008

Com os combustíveis caros existem outras soluções!

Com os combustíveis caros existem outras soluções! A exemplo: o gás natural! É uma excelente alternativa ao gasóleo, é menos poluente, tem praticamente o mesmo desempenho em estrada, e é simultâneamente mais barato.
Em Portugal a STCP no Porto, é o operador europeu com a maior frota de autocarros a gás natural, com um total de 255 veículos a usarem este combustível, ou seja, quase metade da frota da operadora. A Carris por seu turno dispõe de 40 unidades, mas tem optado essencialmente pelo diesel. Também em Braga os Transportes Urbanos (TUB) têm 16 veículos. Voltemos à STCP, e aos números de desempenho das suas viaturas a gás natural. no que diz respeito ao gasóleo a STCP gasta 36€ por cada 100 km's percorridos. Por sua vez, desembolsa apênas 22€ por cada 100 km's para as viaturas a gás natural. Se multiplicarmos esta diferença de 14€ por "n" milhares de km's percorridos ao dia, vezes 365 dias/ano, concluímos que a poupança é significativa!

J.A.

25/07/2008

Carris suspende carreiras durante os fins-de-semana de Agosto


Dada a baixa procura durante o mês de Agosto as seguintes carreiras da Carris serão suspensas aos fins-de-semana e feriados, retomando o funcionamento normal a 1 de Setembro:
Carreiras 7, 16, 21, 49, 71, 92, 713, 738, 777 e eléctrico 18.

23/07/2008

Obras de construção do novo aeroporto arrancam em 2011

"É provável que os trabalhos de construção massiva [do novo aeroporto] comecem em 2011", afirmou hoje Carlos Madeira, durante um encontro com jornalistas, acrescentando que as obras "podem demorar cerca de cinco ou seis anos a estar concluídas".
O calendário do Governo aponta 2017 como data prevista para a entrada em funcionamento do novo aeroporto.
Segundo explicou Carlos Madeira, a NAER, empresa responsável pelo projecto do novo aeroporto, está a desenvolver o seu trabalho em quatro áreas: caracterização do Campo de Tiro de Alcochete (que inclui estudos cartográficos e sondagens geotécnicas, por exemplo), desenho do novo aeroporto, acessibilidades para pessoas e mercadorias e ambiente.
Esta é a segunda fase do levantamento efectuado pelo Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) no âmbito da avaliação ambiental estratégica que determinou a localização do novo aeroporto em Alcochete em detrimento da zona da Ota.
No âmbito da caracterização da zona onde vai ser construído o novo aeroporto, os trabalhos de cartografia e topografia terão início durante o mês de Agosto, devendo prolongar-se "pelos meses seguintes".
O objectivo deste trabalho, segundo o responsável da NAER, é "fazer uma cartografia digital que permita que o desenho aeroportuário possam ser feito com um grau de detalhe muito específico".
Também em Agosto deverão ter início as sondagens geotécnicas,"aproveitando o encerramento da Força Aérea para férias", adiantou Carlos Madeira, precisando que este trabalho deverá prolongar-se durante "quatro ou cinco meses".
Os trabalhos de hidrologia arrancarão "no início de Setembro", tendo uma duração prevista de dois meses.
"Em meados de Agosto", será instalado no Campo de Tiro de Alcochete um radar para acompanhar o movimento das aves, de modo a averiguar potenciais riscos de colisão com os aviões, devendo permanecer neste local, "pelo menos, durante um ano".

No Campo de Tiro de Alcochete será também instalada uma estação meteorológica.

Para estes trabalhos, estão qualificadas 21 empresas, nacionais e estrangeiras, "que estão a ser convidadas a apresentar propostas à medida que os trabalhas vão tendo início", explicou Carlos Madeira, adiantando que "todos os trabalhos de caracterização da localização vão desenvolver-se em paralelo às actividades militares que lá decorrem", uma vez que "ainda não está definida a data em que a Força Aérea terá de abandonar o local".
As "principais conclusões" destes primeiros trabalhos de caracterização deverão estar prontas no final do primeiro trimestre de 2009, de modo a que o concurso para a construção do novo aeroporto possa ser lançado nesta altura e que se possa avançar com a Declaração de Impacto Ambiental (DIA).
Para fazer uma "revisão crítica" das conclusões destes trabalhos, a NAER vai escolher até final de Agosto um novo consultor técnico, de modo a que "no primeiro trimestre de 2009 seja possível ter um desenho com grande grau de rigor".
O trabalho deste novo consultor técnico deverá ser efectuado "entre Setembro e Março", indicou o responsável da NAER.
No que concerne às acessibilidades ao novo aeroporto, a NAER está a trabalhar em conjunto com a RAVE, a REFER (responsáveis pela rede ferroviária convencional e de alta velocidade, respectivamente) e com a Estradas de Portugal (EP), responsável pela rede de estradas.
Estas negociações, de acordo com Carlos Madeira, "ainda estão numa fase inicial".
Também "numa fase muito embrionária" estão as negociações que a NAER está a desenvolver com Instituto da Conservação da Natureza (ICN) e com a Agência Portuguesa do Ambiente (APA), com o objectivo de dar resposta à lista de recomendações de matéria ambiental contidas na Avaliação Ambiental Estratégica.
Recorde-se que o novo aeroporto deverá ser servido por uma auto-estrada e pela rede ferroviária convencional e de alta velocidade.
A localização do novo aeroporto no Campo de Tiro de Alcochete foi aprovada em Conselho de Ministro a 08 de Maio.

in: www.rtp.pt secção "noticias/economia" de 23 Jul/08

Voos para Havana a partir do Porto

É a primeira vez na História que um voo não regular é autorizado a aterrar em Havana, Cuba.

O feito foi conseguido pela Sonhando, SA, que, assim, proporciona viagens directas até à capital sul-americana a toda a região Norte e Galiza, que até agora tivera de deslocar-se até Madrid para chegar ao mesmo destino.

"Em Cuba, há um grande interesse na realização deste voo. Reflecte o nosso interesse em diversificar o conhecimento do país, porque Cuba não é só Varadero", revelou Ana Maria Diaz Canel, embaixatriz de Cuba em Portugal.

Com efeito, através da "Terra Cuba", podem ser adquiridos agora novos programas, de cariz mais ambientalista, histórico ou, mesmo, de saúde, que inclui um "check-up" médico básico numa clínica integrada no Sistema Nacional de Saúde Pública de Cuba.

"Este vôo semanal, na companhia Euro Atlantic e com destino a Havana, permitirá distribuir os turistas de uma forma muito mais equilibrada e, também, criar um novo produto que são os multi-destinos, combinando Cuba com Bahamas, com Cancun ou, mesmo, Miami", explicou o comandante Eduardo Pinto Lopes, administrador da Sonhando.

Com partidas do aeroporto Francisco Sá Carneiro às sextas-feiras, pelas 15,35 horas, e chegadas ao mesmo local aos sábados, às 11,25 horas, este voo charter pretende, futuramente, de acordo com o administrador da Sonhando, transformar-se "num voo regular, para que possa vender-se apenas o bilhete de avião e ser inserido nos sistemas de reservas, acrescentando também assim o Porto e a Galiza como destinos para quem vem de Cuba".

"Estamos interessadíssimos em fomentar este tipo de operações a partir do Porto e congratulamos estas empresas com coragem para apostar - de uma forma optimista, apesar do preço do crude - num mercado que tem imenso potencial", comentou, por sua vez, Fernando Vieira, director do aeroporto do Porto, oferecendo promessas de "apoio total" a esta e a outras iniciativas semelhantes que, cada vez mais, potenciem o terminal nortenho como porta de entrada e saída de toda a região Norte e Galiza.

A título de exemplo, de acordo com o catálogo da Terra Cuba, um programa básico que inclua passagem aérea de ida e volta, transporte do aeroporto de Havana para o hotel pretendido e uma noite de estadia (mínimo obrigatório) fica em cerca de mil euros, a que acrescem as taxas de aeroporto cubanas.

in: www.jn.pt secção "Economia" de 23 Jul/08

Controlo de passageiros por bluetooth

A Horários do Funchal, em parceria coma Universidade da Madeira e a universidade norte-americana, Carnegie Mellon, está a implementar um projecto inovador que utiliza a tecnologia “bluetooth” para monitorizar o comportamento da procura. Segundo os responsáveis do projecto, este foi desenvolvido usando hardware convencional e teve um custo inferior a 200 dólares. Para que funcione, o cliente terá de ter activado o bluetooth nos seus dispositivos móveis.Ao entrar no autocarro, o sistema identifica o dispositivo e regista o tempo. Quando o cliente sai, o dispositivo desaparece da variedade do sistema e mais uma vez é observado o tempo. Assim, consegue-se monitorizar em tempo real o comportamento do passageiro. A Horários do Funchal pretende alargar, numa primeira fase, o sistema ao maior número possível de autocarros, integrando-o posteriormente no actual sistema de bilhética.

in: www.transportesemrevista.com/arquivo_passageiros de 23 Jul/08

16/07/2008

easyJet passará a ligar Lisboa e Funchal


A companhia britanica easyJet a operar nos quatro principais aeroportos nacionais passará a ligar Funchal e Lisboa já a partir 27 de Outubro. Segundo a empresa, as tarifas partirão dos 25.99€ o que corresponde a um valor cerca de quatro vezes inferior ao actualmente praticado pela TAP.
Haverá uma ligação diária entre as duas cidades.
Esta ligação representa a primeira rota entre aeroportos nacionais a ser praticada por uma companhia low-cost.
A easyJet é hoje a segunda maior companhia aérea em Portugal a seguir à TAP.

15/07/2008

Autocarros nocturnos com nota positiva em Vila Real

A Corgobus, empresa de transportes urbanos de Vila Real, alargou o horário até à meia noite, bem como aos fins de semana e feriados, aumentando a procura, nomeadamente de trabalhadores e estudantes.

Desde o passado mês de Fevereiro que a Corgobus está a transportar passageiros nas várias linhas, até à meia-noite. Segundo o administrador da empresa, João Queirós, "a linha está actualmente estabilizada e com uma procura crescente".

" Não sei como é que as pessoas faziam antes para se deslocarem, sobretudo no período nocturno e aos domingos e feriados. O sucesso do alargamento do horário ultrapassou todas as nossas expectativas. É notório que o transporte público já faz parte do dia-a-dia dos vilarealenses", afirma João Queirós

Os números oficiais não mentem. Entre as 21 e as 24 horas transportam-se mais de 70 pessoas em cada dia. E ao domingo, ao contrário do que se pensava inicialmente, o sucesso é ainda maior. O administrador da Corgobus acrescenta que "nas noites de domingo, em período lectivo, são transportados no mesmo horário, mais de 130 passageiros". São sobretudo estudantes que regressam a Vila Real, depois de passarem o fim-de-semana com as famílias noutras cidades da região e do país", refere.

Mas também durante o fim-de-semana, aprocura tem sido crescente. "As pessoas utilizam cada vez mais o transporte público para as deslocações ao hospital, ao cemitério ou ao centro comercial. Sem contabilizar os serviços nocturnos, contam-se mais de 500 pessoas, apenas com uma viatura e uma linha", diz João Queirós.

No caso dos sábados, o alargamento ao período da tarde transformou os oito autocarros que circulavam só da parte da manhã a um total de dez autocarros (cinco de manhã e cinco à tarde) ao longo do dia. O crescimento do número de passageiros transportados aumentou, só ao sábado, mais de 55 por cento.

A autarquia de Vila Real comparticipa o serviço em 600 mil euros anuais. O presidente da Câmara, Manuel Martins, não se cansa de reclamar por não existirem apoios do poder central, como acontece com os transportes urbanos de Lisboa e Porto. Ainda recentemente, escreveu ao presidente do Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres, a propósito da fixação pelo governo em 5,83 por cento da percentagem máxima de aumento médio dos preços dos transportes, exigindo apoios idênticos, para as cidades do interior que "ajudem a suportar o aumento sem que sejam onerados os utentes".

No sentido de melhorar o serviço, ainda durante o corrente mês ou em Agosto, serão apresentados mais dois novos autocarros, os menos poluentes no mercado, e com acesso a Pessoas com Mobilidade Reduzida. Ao todo, passam a ser 12 em serviço permanente em cinco linhas diferentes.

Vila Real tem transportes públicos desde Dezembro de 2004. No primeiro ano, o número de passageiros transportados rondou os 800 mil. No segundo ano, passou para um milhão e cem mil, e tem vindo a aumentar anualmente na ordem dos 100 mil por ano. Este ano, a Corgobus espera ultrapassar um milhão e trezentos mil passageiros.

in: www.jn.pt secção "Vila Real" de 14 Jul/08

12/07/2008

STCP com horários de Verão


Entre 12 de Julho e e 7 de Setembro, a STCP introduz os horários de Verão. Estes novos horários serão todavia diferentes em Agosto, ou seja, a STCP adopta um primeiro horário válido para o mês de Julho e Setembro, e um segundo especifico para o mês de Agosto.
De acordo com a empresa durante o presente mês as seguintes linhas não sofrem alterações:
- 55, 61, 64, 68, 70, 300, 303, 600, 703, 706, 707, 803, 806, ZA, ZH, ZF, ZL, ZM, ZR e eléctricos.

Durante o mês de Agosto, 61, 64, 68, 70, 707, ZA, ZH, ZF, ZL, ZM, ZR e eléctricos, também não sofrem alterações.

As linhas 200, 501, 503 e 603 mantêm os horários inalterados.

11/07/2008

Criado "passe escolar"



Durante o debate do "Estado da Nação", o primeiro-ministro José Sócrates anunciou a criação do designado "passe escolar". Na prática este novo título que será aplicado em todo o país, não obstante das autarquias financiarem actualmente os passes escolares até aos 50%, as Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto aplicarão este modelo para todos os estudantes entre os 4 e os 18 anos com uma redução de 50%.
No caso lisboeta o título mais caro, o "L 123" que custava 52.50€ passará a custar 26.75€. No Porto, o tarifário intermodal "Andante" que já oferecia aos seus clientes 25% nos títulos para estudantes passará agora a custar no tarifário Z2, 12.45€.
A medida segundo o primeiro-ministro, visa incentivar o uso do transporte público.

09/07/2008

Bilhete para as praias disponivel na Fertagus e TST

Para facilitar o acesso às praias da Costa da Caparica e Fonte da Telha, a Fertagus lançou a campanha Versão 2008 intitulada “Comboio da Ponte – a melhor ligação para a Praia!”, uma acção articulada com os TST – Transportes Sul do Tejo. Os clientes têm a possibilidade de viajar de todas as estações da Fertagus até à Estação do Pragal ou Foros de Amora ponto de partida das carreiras número 194, 124, 116 e 127 dos TST com destino às praias da Costa da Caparica, nomeadamente Praia do Paraíso e a Praia Nova, bem como para a Fonte da Telha. Ao adquirir o Bilhete Praias os clientes poderão efectuar a viagem de Comboio e de Autocarro sem necessidade de adquirir outro título de transporte. Os bilhetes poderão ser adquiridos nas estações da Fertagus. Os preços normais (ida e volta, comboio + autocarro) vão dos 3,90 euros aos 8,25 euros), dependendo da origem e destino.

in: www.transportesemrevista.com/arquivo_passageiros de 8 Jul/08

05/07/2008

Artigo JN

Um eléctrico cheio de arte no Porto



Novos artistas portuenses decoraram um dos eléctricos do Porto com mais cor e desenhos. O veículo com uma decoração especial viajou, esta sexta-feira, de forma gratuita pelas ruas da cidade.



Consulte o artigo completo em: http://jn.sapo.pt/multimedia/video.aspx?content_id=964978

04/07/2008

Comboios rápidos entre Braga e Porto só em 2013

Viagens mais rápidas entre as cidades de Braga e do Porto ainda vai ser uma "miragem" até 2013, só possível depois da conclusão das obras da Trofa e da renovação (atrasada) das linhas entre Ermesinde e Campanhã.

Até 2013, ano em que está inicialmente prevista a conclusão total das obras de duplicação da linha do Minho, entre Braga e Porto, será impensável a redução do tempo de viagem dos comboios suburbanos inferior a 47 minutos, entre aquelas duas cidades. A excepção vai unicamente para o Alfa, com um tempo de 40 minutos, que tem já duas circulações nos dois sentidos, mas implicando um preçário mais caro para os utentes.

Por outro lado, segundo apurou o JN junto da CP e da Refer, a rede ferroviária entre Braga e Porto encontra-se "estrangulada" entre as estações de Ermesinde e de S. Bento. Urge, por isso, a aceleração dos projectos estruturais já definidos em 1994, mas que, até ao momento, só avançaram no canal da Trofa, cujas obras - já com uma derrapagem de um mês - só estarão concluídas em Janeiro de 2009.

Este cenário está a preocupar a Comissão de Utentes da Linha Braga-Porto (CULBP) que, anteontem à noite, num debate realizado, em Braga, sob a temática "Transporte Público Ferroviário", anunciou ter avançado já com um estudo sobre os horários de comboios, na tentativa de encontrar um sistema integrado de circulações mais rápidas. "Esperamos concluir este estudo em Setembro, o qual será entregue à CP, tentando, desta forma, dar o nosso contributo para a melhoria do transporte ferroviário, principalmente, no troço entre Ermesinde e S. Bento, onde se verifica o efeito de afunilamento de outros circulações provenientes das linhas do Douro e de Guimarães", disse José Pedro Santos, representante da CULBP.

Carlos Reis, da Refer, admite que, tecnicamente, é possível a redução de tempos de viagem dos comboios entre as cidades de Braga e Porto, mas deixou claro a dificuldade, no presente, de reajustamento das circulações na Linha do Minho, por "estrangulamento" da rede ferroviária.

"Neste momento, verificam-se 60 circulações diárias, nos dois sentidos, o que dá uma média de 4/5 comboios por hora, o que gera dificuldades de viagens mais rápidas", rematou.

in: www.jn.pt secção "País" de 4 Jul/08

03/07/2008

Artigo TSF - "TGV"

Entre Barcelona e Madrid...



Numa altura em que Portugal discute o TGV, e passados 4 meses desde que foi inaugurada a ligação por alta velocidade entre as duas maiores cidades espanholas, a TSF foi ver como funciona o TGV entre Barcelona e Madrid.



Consulte o artigo completo em: http://www.tsf.pt/paginainicial/audioevideo.aspx?content_id=964877

in: www.tsf.pt secção "Áudio&Video" de 3 Jul/08

02/07/2008

TAP arranca com uso de telemóveis a bordo

A TAP arranca, esta quarta-feira, com uma experiência que vai permitir aos passageiros de um dos aviões falarem ao telemóvel durante o voo. De acordo com a Agência Lusa, o aparelho em questão é um Airbus A-319, utilizado em voos de médio curso, para a Europa e Norte de África.

Os testes vão decorrer durante seis meses. Envolvem as três principais operadoras de telemóveis e resultam de uma parceria com a On Air, uma empresa do grupo Airbus especializada em comunicações a bordo.

A TAP será uma das primeiras companhias a nível mundial a permitir aos passageiros o acesso a este serviço. Em função dos resultados, o serviço pode ser alargado a todos os voos da Transportadora Aérea Nacional.

in: www.tvi.iol.pt de 2 Jul/08

Horários do Funchal participa em projecto de registo de passageiros

Investigadores da Universidade da Madeira, com o apoio de uma equipa da universidade norte-americana de Carnegie Mellon, desenvolveram um novo sistema que usa bluetooth para registar o número de passageiros e a duração das viagens individuais nos transportes públicos, nomeadamente nos autocarros. Este projecto está a ser desenvolvido em conjunto com a empresa Horários do Funchal ao abrigo do Programa Carnegie Mellon|Portugal. O objectivo é alargar, numa primeira fase, a utilização do novo sistema a um maior número de autocarros, integrando-o nos actuais sistemas de bilhetes. Posteriormente, o objectivo é levar outros operadores a usufruir do sistema. O sistema foi desenvolvido com recurso a “hardware” convencional e custou menos de 200 dólares. Quando um passageiro entra no autocarro, o equipamento identifica um novo dispositivo e regista o tempo. Quando o passageiro sai, o dispositivo desaparece da variedade sistema e mais uma vez é observado o tempo. Através deste sistema é possível compreender o comportamento dos passageiros. O sistema foi testado na empresa Horários do Funchal, durante o mês de Maio. Os investigadores detectaram que cerca de dez por cento dos passageiros tinham dispositivos que permitiam a ligação ao novo sistema. Potencialmente mais dispositivos podem ser capturados, se for possível motivar mais passageiros a activar a função bluetooth nos seus telefones. A grande vantagem deste sistema é o registo das viagens de passageiros individuais, não números totais, com um preço muito mais baixo. Estes dados permitem construir um quadro exacto de como os passageiros estão a usar os serviços do operador de transportes.

in: www.transportesemrevista.com/arquivo_passageiros de 2 Jul/08

01/07/2008

Lançado concurso público para o Metro do Mondego

A Metro do Mondego lançou o concurso público internacional para aquisição do material circulante para o Sistema de Mobilidade do Mondego. A opção técnica recaiu na solução “tram-train” que tem como objectivo promover a requalificação do Ramal da Lousã permitindo responder de forma eficiente às necessidades da população urbana, suburbana e regional. De acordo com o caderno de encargos, o tram-train será um veículo eléctrico com tracção monocorrente a 750 V cc e terá características estruturais semelhantes quer no serviço urbano quer no serviço suburbano, mas com adpatações às diferentes necessidades mobilidade da população. Serão veículos modernos, de design atraente e confortáveis, que garantam segurança e fiabilidade nas deslocações. As obras do metro do Mondego, como é conhecido o projecto do sistema de mobilidade debatido há 15 anos para a região de Coimbra, deverão arrancar em 2009 e demorar pelo menos dois anos, prevendo a empresa que os primeiros veículos tram-train comecem a circular em 2011. A Metro Mondego, empresa de capitais exclusivamente públicos, criada em 1994 para resolver o problema do sistema de transportes do Ramal da Lousã - com composições a diesel, já obsoletas – tem como accionistas o Estado (53 por cento), os municípios de Coimbra, Miranda e Lousã (cada um com 14 por cento), além da CP e da REFER, estas com participação minoritária.

in: www.transportesemrevista.com/arquivo_passageiros de 1 Jul/08
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Custom Search