29/11/2015

Supressão Carreiras na Ligação do Barreiro

No início da manhã de segunda feira, dia 30 de novembro, por motivo de absentismo por parte de trabalhadores Soflusa, prevê-se a supressão das seguintes carreiras na ligação fluvial Barreiro – Terreiro do Paço: 

Barreiro – Terreiro do Paço: 
7h20m 
8h10m 
9h00m 

Terreiro do Paço > Barreiro: 
7h45m 
8h35m

in: carris.transporteslisboa.pt

28/11/2015

Museu do Carro Elétrico da STCP reabre hoje

facebook.com/transportesonline
Após três anos de intervenções, reabre hoje o Museu do Carro Elétrico da STCP, que se situa na Av. Basílio Teles, na antiga Central Termoelétrica de Massarelos.

facebook.com/transportesonline
No ano em que comemora 100 anos, a Central Termoelétrica de Massarelos que serve de Museu ao espólio da STCP, reabre hoje depois de uma intervenção profunda no edificio, e um trabalho profundo de restauração dos antigos equipamentos.
O Museu do Carro Elétrico da STCP alberga 26 elétricos que serviram a companhia ao longo da sua história, num renovado espaço mais interativo e acolhedor para os visitantes, com novos recursos e novas tecnologias que ajudam a contar a evolução dos transportes na cidade do Porto dos últimos 140 anos.

27/11/2015

Partidos da esquerda anulam subconcessão dos transportes

Todos os partidos de esquerda aprovaram na generalidade esta tarde no Parlamento, os diplomas que revertem a subconcessão do Metro de Lisboa e Porto, Carris e STCP.

Apesar de já estarem assinados os processos de subconcessão entre o Estado português e os subconcessionários, falta o visto final do Tribunal de Contas (TC) e Autoridade da Concorrência (AdC), que impede que os subconcessionários iniciem as operações de subconcessões.
Os diplomas aprovados esta tarde na Assembleia da República revertem todo o processo, apesar de faltar a aprovação na especialidade.
Neste processo, também o Metro do Porto cuja operação e manutenção sempre esteve a cargo de empresas concessionárias desde a entrada em funcionamento em Dezembro de 2002, deverá passar para a tutela direta do Estado. O atual contrato com o Grupo Barraqueiro, que terminou em Dezembro de 2014, e tem sido prorrogado ao longo de 2015 enquanto se lançava o Concurso Público Internacional para atribuir a operação ao novo subconcessionário ganho pela Transdev, foi prolongado até Fevereiro de 2016, pelo que a partir desta data deverá ser o Estado que diretamente irá operar a rede de metro.

25/11/2015

Novo governo poderá reverter processo de subconcessões

facebook.com/transportesonline
autocarro ao serviço da Carris
O novo governo poderá vir a reverter o processo de subconcessões dos transportes de Lisboa e Porto, nomeadamente os contratos de exploração das redes da Carris e Metro de Lisboa com os espanhóis da Avanza, da STCP com os britânicos da Alsa, e do Metro do Porto com a Transdev.

Os respetivos contratos de subconcessão já foram assinados entre o Estado português e as empresas subconcessionárias, mas falta ainda o visto do Tribunal de Contas e da Autoridade da Concorrência.
Apesar de assinados os contratos, o visto final do TC e da AdC impede os subconcessionários de assumirem o controlo das empresas. Ainda esta semana, o TC devolveu à Carris e Metropolitano de Lisboa os contratos pedindo esclarecimentos às empresas sobre pontos do processo.
Com o visto do TC e AdC, qualquer anulação dos contratos obriga o Estado português a indemnizar não só os vencedores dos respetivos Concursos Públicos Internacionais, mas todos os concorrentes no processo. Sem este visto, apesar de assinados os contratos, obriga apenas o Estado a devolver às empresas vencedoras para a subconcessão das cauções entretanto pagas às empresas públicas.
O programa do XXI Governo Constitucional do Partido Socialista com o apoio dos partidos de esquerda que toma posse amanhã, prevê anular estes concursos, não sendo conhecida formalmente se continuará a ser o Estado a gerir as empresas, ou se estas passarão para as mãos das autarquias como reivindicam os autarcas de Lisboa e Porto.

16/11/2015

Já é possível percorrer várias linhas de comboios portuguesas através do Google Maps

Já é possível percorrer virtualmente as linhas de Cascais, Sintra, Douro, Norte e Oeste. São mais de 700 km's de imagens recolhidas pela Google, em colaboração com a CP e as Infraestruturas de Portugal.
As imagens agora disponibilizadas através desta plataforma, podem ser integralmente percorridas em vários dispositivos com o sistema da Google Maps instalado.

Viage aqui na:



12/11/2015

Foi assinado documento de privatização da TAP

facebook.com/transportesonline
Foi hoje assinado documento de privatização de 61% do capital da TAP ao consórcio Gateway de David Neeleman e Humberto Pedrosa. A TAP irá receber no imediato 150 milhões de euros, a que se juntam mais 130 milhões que vão entrar em caixa até Junho de 2016.
Do acordo de privatização da companhia, existe obrigação do privado em manter as rotas estratégicas para os países de língua oficial portuguesa, e manter a base operacional e a sede da companhia em Portugal, no mínimo para os próximos 10 anos.

Os novos acionistas da TAP vão adquirir no imediato 53 novos aviões, dos quais 15 A330-900NEO, 15 A320NEOS, e 24 A321NEOS. Entretanto, Neeleman prometeu bilhetes mais baratos nos vôos regulares, fazendo com que a TAP possa concorrer diretamente com as companhias low-cost. Para já, a empresa disponibilizou bilhetes a 39€ para vários destinos.

Em estudo, está igualmente a possibilidade da TAP poder vir a assegurar uma ligação Lisboa-Porto, e Porto-Lisboa por hora.

02/11/2015

Câmara de Aveiro anula concurso da MoveAveiro

A Câmara Municipal de Aveiro anulou o concurso para a concessão dos serviços da MoveAveiro porque nenhuma proposta cumpriu as exigências do caderno de encargos. Ao concurso público concorreram duas entidades: a Rodonorte e a Zapveloz, sendo que esta última não tem referências conhecidas. O presidente da autarquia, Ribau Esteves, afirmou na reunião pública extraordinária da câmara que um dos concorrentes não entregou o projeto de requalificação do centro coordenador de transportes, que é uma das condições, enquanto o outro entregou a proposta fora de prazo.
Na sequência da desta anulação, a Câmara Municpal de Aveiro decidiu lançar um novo concurso para a concessão, tornando o caderno encargos mais atrativo, designadamente com o aumento de 50 cêntimos para 60 cêntimos por cento no valor de comparticipação de quilómetros e passará a contabilizar os percursos em vazio, assim como a garantia de entrega dos veículos ou embaracações não substituídos durante a vigência da concessão ao concedente. Os autocarros adquiridos durante a concessão terão uma nova fórmula de cálculo do seu valor e no caso de existirem financiamentos por leasing, o concedente tomará a posição do concessionário no contrato, deduzindo o valor do capital em dívida. Além disso, o investimento exigido no centro coordenador de transportes diminuiu de 500 mil para 400 mil euros. Os ganhos estimados na concessão baixam de 1,4 milhões de euros para 1,1 milhões de euros. 
O presidente da Câmara Municipal de Aveiro, Ribau Esteves, entende que a concessão da MoveAveiro "continua a ser uma boa solução, sólida, importante em termos financeiros. Esperamos ter em janeiro uma boa proposta para adjudicar".

in: transportesemrevista.com de 02/Nov.'15
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Custom Search