27/11/2019

Concursos públicos para concessão de transportes nas regiões de Lisboa e Porto entregues na AMT

facebook.com/transportesonline
autocarro da TST
A Área Metropolitana de Lisboa (AML) entregou hoje à Autoridade de Mobilidade e de Transportes (AMT) para uma análise prévia e vinculativa, as peças concursais respeitante ao lançamento do concurso público internacional para a concessão da rede de transportes rodoviários para um período de 7 anos, dividida em 4 lotes: 2 a norte do rio Tejo, e 2 a sul. Significa que serão lançados 4 concursos para as respetivas áreas, com os mesmos pressupostos.


Entre as várias medidas, está previsto um aumento da oferta em cerca de 40% face à rede atual, o que perfaz uma oferta total de cerca de 90 milhões de km's percorridos/ano. Isto traduz-se na criação de novos circuitos, e um reforço da oferta fora das horas de ponta como noites e fins-de-semana. Todos os operadores de autocarros vão operar sob a marca Carris Metropolitana, à excepção da Carris, Transportes Colectivos do Barreiro e transportes de Cascais onde a AML não tem autoridade e por isso, manterão uma marca própria.
Outro dos requisitos prende-se com a componente ambiental. Os operadores terão de adquirir autocarros com norma Euro 6, de preferência veículos movidos a energias alternativas como gás natural comprimido ou elétricos, sendo que a idade média da frota não deverá exceder os 8 anos no final do período de concessão.
Pretende-se um maior reforço da informação nas paragens, e em plataformas eletrónicas como site e app's móveis, bem como a alteração do sistema de bilhética que permitirá o pagamento/validação por telemóvel. Para isso, será criada até Abril de 2020 a TML (Transportes Metropolitanos de Lisboa) que vai controlar, entre outros aspetos, todo o sistema de bilhética, e saber ao segundo se os operadores estão a cumprir os horários, e quantos passageiros estão a bordo dos autocarros. 

Na região do Porto, AMP aprovou a 25 de Outubro as condições para o lançamento do Concurso Público Internacional que prevê a concessão da rede de transportes rodoviários em 16 dos 17 municípios que compõem a AMP (o Porto fica de fora dado que a STCP é operador interno) dividida em 5 lotes, para um período de 7 anos. Os vencedores deverão operar sob uma marca única, até à data ainda desconhecida, e a idade média de frota quando iniciarem operação não poderá exceder os 14 anos, baixando para 8 anos até ao final do período de concessão. Os veículos devem estar equipados com GPS e com equipamentos de bilhética cujo acesso deve ser facultado à empresa a constituir pela AMP para controlo de operação e condições comerciais.

O parecer a AMT é vinculativo para que as Autoridades Metropolitanas ou Comunidades Intermunicipais possam lançar os respetivos Cadernos de Encargos para a concessão da rede de transportes rodoviários nos diferentes territórios onde têm jurisdição.
No casos de empresas municipais de transportes, ficam de fora do concurso visto tratarem-se de operadores internos como o caso de Lisboa, Barreiro, Porto, Coimbra ou Braga. 
Cascais lançou concurso no início do ano que apurou os espanhóis da Martin para operar os transportes do concelho. Em Aveiro a rede foi concessionada em 2017 à Transdev por um período de 15 anos. 

25/11/2019

Rodonorte e Rede Expressos estabelecem parceria

facebook.com/transportesonline
A Rodonorte estabelece parceria que permite integrar os destinos de médio e longo curso na plataforma da Rede Expressos.

A partir de hoje a consulta e compra de títulos online da Rodonorte passa a estar disponível exclusivamente no site da Rede Expressos o que permitirá "melhorar e alargar o serviço aos utentes" referem as empresas em comunicado.
Com a junção da operação das carreiras de médio e longo curso na Rede Expressos, os clientes ganham mais opções de viagem, maior flexibilidade, e maior comodidade na aquisição de títulos de transporte que pode ser feita online via site ou app.
Para quem possui passe da Rodonorte, o mesmo pode ser utilizado até ao final do ano. 

23/11/2019

Preço dos passes em Lisboa e Porto mantém-se em 2020

facebook.com/transportesonline
O preço dos títulos de transporte irão sofrer uma atualização tarifária que não deverá ultrapassar os 0,38% em 2020. No entanto, o valor do passe único nas Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto mantém-se inalterado para o próximo ano.

O valor do chamado "passe único" nas regiões de Lisboa e Porto vai manter-se em 2020. Assim, a assinatura do Navegante Municipal em cada um dos municípios da AML e do Andante 3Z Municipal nos municípios da AMP mantém-se com valor de 30€, e do Navegante Metropolitano e Andante Metropolitano continuarão a ter um custo de 40€. Os descontos para o passe social+ e de reformado e pensionista bem como 4_18 e Sub_23 mantém os mesmos valores, tal como o passe Navegante Família com um custo máximo de 80€ na região de Lisboa, o mesmo valor que deverá ter na região do Porto quando o Andante Família entrar em vigor no inicio do próximo ano.

A atualização do valor máximo de 0,38% deverá incidir sobre assinaturas monomodais, tarifas de bordo e títulos ocasionais monomodais ou intermodais. 

Cabify deixa de operar em Portugal

facebook.com/transportesonline
A Cabify vai deixar de operar em Portugal a partir do inicio do próximo mês. A empresa refere que a falta de motoristas, e de passageiros e a elevada concorrência que enfrenta levou a esta tomada de decisão.

Por agora a Cabify indica que os motoristas inscritos na plataforma poderão continuar a realizar viagens e a obter rendimentos até ao próximo dia 30 de Novembro.
A Cabify de origem espanhola estava presente no mercado português desde 2016 nas cidades de Lisboa e Porto. Trata-se segundo a empresa, de uma pausa na operação no mercado português estando atenta a futuras oportunidades no mercado nacional. 

18/11/2019

App Via Verde Estacionar chega a Lisboa

A partir de quarta-feira dia 20 a app Via Verde Estacionar já pode ser utilizada no estacionamento à superfície na cidade de Lisboa.

facebook.com/transportesonlineUma parceria entre a EMEL e a Via Verde vai permitir utilizar a aplicação da Via Verde Estacionar para pagar o estacionamento à superfície, mesmo que não seja portador de um identificador Via Verde. Para isso, basta fazer o download da app para Android ou iOS, registar e associar uma conta bancária. Depois, nas definições da aplicação pode associar uma matrícula, ou conjunto de matrículas. Sempre que estacionar, basta abrir a aplicação, e com base na geolocalização do telemóvel pode iniciar o estacionamento, prolongá-lo, ou terminá-lo a qualquer momento sem recorrer a moedas já que posteriormente será feito o débito na conta bancária associada. Até 12 de Dezembro o primeiro estacionamento é grátis.

Apesar da EMEL já contar com uma aplicação idêntica, a vantagem da Via Verde Estacionar é o facto de poder ser utilizada em diferentes localidades de norte a sul do país sem que seja necessário conhecer as regras tarifárias de cada município. Por agora, são 19 as cidades incluindo Lisboa, onde pode utilizar uma única app para pagar o estacionamento:
-Almada, Amadora, Bragança, Cascais, Espinho, Figueira da Foz, Lagos, Loulé, Loures, Maia, Oeiras, Portimão, Porto, Sintra, Tavira, Vila Nova de Gaia, Vila Real e Vila Real de Santo António. 

03/11/2019

EVA ganha concessão dos transportes do Algarve

facebook.com/transportesonline
A EVA Transportes ganhou a concessão para a exploração dos transportes do Algarve lançado pela AMAL (Comunidade Intermunicipal do Algarve) no passado mês de Junho.

De acordo com o Jornal de Negócios, a EVA ganhou o Concurso lançado pela AMAL para a exploração das carreiras municipais e intermunicipais na região do Algarve válido para os próximos 5 anos. Em causa, estão 98 ligações que fazem parte de um único lote que foi a concurso, e que apenas deixa de fora os municípios de Faro, Lagos e Portimão, que já detêm redes de transporte concessionadas.
O Concurso no valor de 84 milhões de euros, deixa o risco operacional do lado do operador e obriga à criação de ligações em todas as povoações com pelo menos 40 habitantes e que ainda não sejam servidas por redes de transportes, ligações ao Aeroporto de Faro a partir de diferentes pontos da região, e serviço de transporte de pelo menos duas bicicletas nos autocarros entre as principais cidades, bem como na ligação ao Aeroporto. Para além disso, deverá continuar garantido o preço máximo de 40€ de assinatura mensal para viajar em toda a região.
O contrato apenas será assinado quando estiverem garantidas as condições para o cumprimento das obrigações estabelecidas, e a rede deverá estar operacional no Verão de 2020. 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Custom Search