07/12/2017

Metro do Porto faz 15 anos

Faz hoje 15 anos o Metro do Porto entrou em funcionamento. Estávamos a 7 de Dezembro de 2002 quando foi inaugurado o primeiro troço da linha azul (A), entre a Trindade e o Sr. de Matosinhos, com um total de 11,8 km's e 18 estações.

De 2002 a 2011 a rede cresceu atingindo os 67 km's num total de 81 estações distribuídas por 6 linhas em 7 concelhos, a última das quais a linha laranja (F) inaugurada a 2 Janeiro de 2011.
A 27 de Julho deste ano é inaugurada a 82ª estação de metro, a 36ª da linha Vermelha (B), a VC Faschion Outlet - Modivas. Trata-se de umas das maiores redes de metropolitano ligeiro da Europa.O Metro do Porto também é responsável pela exploração do Elevador dos Guindais que liga a Ribeira à Batalha inaugurado inicialmente em 1891, e reinaugurado em 2004.
Para 2021/2022 está prevista a inauguração da extensão da linha D a Vila d'Este em Gaia, e da nova linha Rosa (G) entre a Casa da Música e São Bento.
Em 2010 a empresa tinha ao serviço 72 veículos modelo "eurotram", e 30 veículos modelo "tram-train".
Nestes 15 anos o Metro percorreu 90 milhões de quilómetros, o equivalente a mais de 2500 voltas ao mundo, e transportou 635 milhões de passageiros, tendo contribuído significativamente para um novo paradigma de mobilidade na Área Metropolitana do Porto, para além dos elevados ganhos ambientais.
A construção da rede do metro permitiu simultaneamente a criação de novas vias de comunicação rodoviárias, e requalificação de áreas à superfície como praças, ruas e avenidas.
Ao longo da rede foram construídos parques de estacionamento num conceito novo em Portugal de Park & Ride, e entrou em funcionamento o Andante (tarifário intermodal do Grande Porto, cujo preço depende apenas do trajeto a efetuar e não do número de transportes que utiliza e do número de embarques que efetua. Está disponível tanto em tarifários ocasionais, como de assinatura. Apenas um título de transporte, e um só preço para viajar em todos operadores aderentes).
Para uma terceira fase estão previstas a construção das linhas Campanhã/Faculdade de Letras,  Faculdade de Letras/Vila d'Este, e uma linha circular de condução automática ligando todas as linhas, e a ligação entre o ISMAI e a Trofa que deveria ter sido executada na primeira fase da obra.
Alguns estudiosos defendem ainda o prolongamento entre a Póvoa de Varzim e Esposende e Viana do Castelo utilizando veículos do tipo "train". E para sul servindo os concelhos de Santa Maria da Feira, Oliveira de Azeméis e S. João da Madeira.

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Custom Search