STCP com oferta a 100% aos fins-de-semana.OBRIGATÓRIO USO DE MÁSCARA NOS TRANSPORTES PÚBLICOS.

25/02/2010

SET anuncia Autoridades Regionais de Transportes

O secretário de Estado dos Transportes (SET), Carlos Correia da Fonseca, anunciou que uma das medidas orientadoras incluídas no PET – Plano Estratégico de Transportes, que brevemente será apresentado, será a criação de Autoridades Regionais de Transportes. Durante a cerimónia de apresentação das novas instalações da Arriva, na semana passada, Carlos Correia da Fonseca afirmou que «temos de pensar numa lógica supra municipal e em regiões de transportes» disse, adiantando que «avançámos com as autoridades metropolitanas de Lisboa e Porto e gostaríamos que a nível regional pudéssemos contar com entidades operadoras que definam redes de transportes intermodais que possam estruturar as redes, concessioná-las e indemnizar os operadores. Não podemos atirar aquilo que é responsabilidade pública para cima dos operadores». O SET deu ainda o exemplo de Coimbra, referindo que «o Metro do Mondego ou vai ser um desastre ou uma solução inovadora. Temos de assegurar que os SMTUC e os restantes operadores de transporte da região façam parte da cadeia de mobilidade. As Câmaras Municipais têm um papel muito importante neste aspecto, e terão necessariamente de perceber que são parte da solução e não parte do problema». Carlos Correia da Fonseca afirmou também que é necessário repensar o Transporte Escolar e encontrar alternativas para servir as áreas de menor densidade populacional. «Porque não recorrer à inovação e a outros tipos de serviço que respondam directamente à procura? Na Suíça existem zonas onde são os Correios a efectuar o transporte para as zonas mais rurais. Mas existem centenas de exemplos por essa Europa fora. Em Portugal temos a hipótese de fazer testes-piloto no âmbito do transporte flexível» disse. Para o governante é necessário garantir a alteração da actual Lei de Bases e o RTA – Regulamento de Transportes em Automóveis, que data de 1948, assim como o regime de concessões das carreiras de transporte público, tornando-o menos rígido e avançando para um sistema de contratualização. Correia da Fonseca afirma que «queremos operadores que garantam uma cadeia de operação e a co-modalidade».

in: www.transportesemrevista.com de 25 Fev/10

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Custom Search