STCP com oferta a 100% aos fins-de-semana.OBRIGATÓRIO USO DE MÁSCARA NOS TRANSPORTES PÚBLICOS.

04/09/2020

TST, Barraqueiro e Vimeca/Scotturb na corrida aos transportes de Lisboa

www.facebook.com/transportesonline
autocarro da Vimeca
O concurso para a concessão dos transportes da Área Metropolitana de Lisboa (AML) foi lançado a 18 de Fevereiro, mas devido à pandemia, só a 1 de Setembro último terminou o prazo para a entrega de propostas.

Foram lançados 4 concursos, um por cada lote correspondente a 4 áreas geográficas diferentes: 2 na margem norte, e 2 na margem sul. Com um horizonte temporal de 7 anos, a convergência numa marca comum a toda a área Metropolitana de Lisboa: a Carris Metropolitana, o reforço da oferta, bem como a criação de novas carreiras e aquisição de novos autocarros.

Apesar da AML ainda não ter divulgado oficialmente os 7 candidatos que se propuseram a concurso, a Transportes Online sabe que a Vimeca/Scotturb foi a única concorrente ao lote 1, que inclui os municípios da Amadora, Oeiras e Sintra (vêr nota). A Barraqueiro através da Rodoviária de Lisboa, foi a única concorrente ao lote 2, uma área que atualmente é servida pelas empresas Mafrense, Rodoviária de Lisboa, Barraqueiro Oeste, Santo Isidoro e Santo António/Leonardo.

Já na margem sul, o lote 3 foi o que recebeu mais propostas. Para além do Grupo Arriva que detém a TST e que já opera nos municípios da Almada, Seixal e Sesimbra, também foram apresentadas propostas do grupo britânico National Express, um dos principais operadores daquele país, e dos portugueses Auto Viação Cura de Viana do Castelo e ainda de uma empresa ligada à Espírito Santo Autocarros de Gaia. Já no lote 4 onde também opera a TST e que inclui os concelhos de Alcochete, Moita, Montijo, Palmela e Setúbal recebeu as propostas da Vimeca/Scotturb e da National Express.

De acordo com as regras do concurso definidas pela AML, nenhuma empresa poderá deter mais de 50% da operação na AML, o que significa que nenhum candidato poderá ganhar mais que um lote, com exceção do lote 4 que apenas representa 18% da oferta, e que desta forma, poderá ser ganho por um vencedor de outro lote a concurso. Porém, cerca de 30% do serviço em cada um dos lotes poderá ser subconcessionado a terceiros. Ou seja, os vencedores poderão entregar parte deste serviço a outras empresas que não se apresentaram a concurso.

Os vencedores de cada um dos lotes deverá ser conhecido nas próximas semanas.

Nota: Lotes a concurso

Lote 1: zona Noroeste da AML. Inclui os municípios da Amadora, Oeiras e Sintra atualmente operadas pela Vimeca e Scotturb, e que representa 33% de toda a oferta existente. Existem 98 carreiras, e serão criadas mais 35, o que representa um aumento de 39% face à oferta existente.

Lote 2: zona Nordeste da AML. Inclui os municípios de Mafra, Odivelas, Loures e Vila Franca de Xira. Vários operadores de transportes ligados ao Grupo Barraqueiro operam nestes concelhos como a Rodoviária de Lisboa, Mafrense, Isidoro Duarte, Henrique Leonardo da Mota e Santo António, com um total de 187 carreiras, o que representa 32% da oferta atual na AML. Vão ser criadas 31 novas carreiras, ou seja, um aumento de 34%.

Lote 3: zona Sudoeste da AML. Inclui os municípios da Almada, Seixal e Sesimbra, onde atualmente opera a TST, com um total de 116 carreiras, o que representa 18% de toda a oferta existente na AML. Com o Concurso vão ser criadas 43 novas carreiras, ou seja, um incremento de 47% da oferta.

Lote 4: zona Sudeste da AML, onde se incluem os municípios de Alcochete, Moita, Montijo, Palmela e Setúbal, servidas pela TST, com um peso de 14% de toda a oferta existente. Das 80 carreiras atualmente existentes, vão ser criadas mais 21 para um total de 111, o que representa um acréscimo de 68%, sendo a zona de Palmela a mais beneficiada.

Saiba todas as condições do concurso aqui!


Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Custom Search