01/04/2020

Coronavírus: empresas de transporte recorrem ao lay-off

www.facebook.com/transportesonline
autocarro ao serviço da Transdev
Várias empresas de transporte começam a recorrer ao lay-off de forma a fazer face às quebras de receita provocada pela pandemia do coronavírus.

Desde que foi decretado o Estado de Emergência, muitas empresas sofreram um quebra na ordem dos 90%, devido à antecipação das férias escolares, ao recurso ao teletrabalho por parte de muitos trabalhadores, suspensão de serviços de aluguer e serviços expresso. A Auto Viação Feirense (AVF), foi das primeiras a recorrer a esta figura jurídica que permite dispensar parte dos trabalhadores, que passam a receber 2/3 do salário, que nunca pode ser inferior a 635€ nem superior a 1905€, ficando o Estado responsável pelo pagamento de 70% deste valor, e a entidade patronal pelos restantes 30%.
Esta medida que tem por objetivo ajudar as contas das empresas e preservar os postos de trabalho, já está a ser seguida desde hoje pelo Grupo Transdev que detém várias empresas no norte e centro do país, e que afetará cerca de 2000 trabalhadores. Também o Grupo Tejo, que inclui a Rodoviária do Tejo, Rodoviária do Oeste e Rodoviária do Lis avança com cerca de 750 trabalhadores para o lay-off. No Algarve a Frota Azul e a Eva Transportes vão dispensar cerca de metade dos trabalhadores, ou seja, 250 funcionários.
Vária empresas de turismo, as mais afetadas porque estão completamente paradas, bem como 90% dos trabalhadores da TAP, funcionários da Ryanair e easyJet em Portugal estão em regime de lay-off.
Outras empresas vão recorrer nos próximos dias ao regime de lay-off, entre as quais outras empresas ligadas ao Grupo Barraqueiro, nomeadamente as que prestam serviço de médio e longo curso.
No que concerne às empresas de transporte urbano, por agora mantêm a atividade normal, com ajustes doe horários de acordo com a procura, sem haver no entanto recurso ao despedimento, nem da paralisação total ou parcial dos trabalhadores. A Carris contudo, devido à baixa procura, está a cortar o horário dos motoristas e guarda freios a metade em certos dias, sem haver no entanto qualquer penalização salarial.

Atualização!

A Arriva Portugal que detém várias empresas no Norte do país e os Transportes Sul do Tejo vai colocar 68% dos seus trabalhadores em lay-off a partir de amanhã dia 9 de Abril.
A Rodoviária de Lisboa, do Grupo Barraqueiro, vai para lay-off parcial a partir de amanhã.
A Scotturb que opera nos concelhos de Sintra, Cascais e parte do concelho de Oeiras também já anunciou o recurso ao lay-off parcial.

Atualizado a 8 de Abril às 17:40h.

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Custom Search