STCP com oferta a 100% aos fins-de-semana.OBRIGATÓRIO USO DE MÁSCARA NOS TRANSPORTES PÚBLICOS.

19/12/2007

Máquinas de carregamento de títulos ANDANTE instaladas nas estações da CP não funcionam

As máquinas de venda automática de títulos de transporte para o metro do Porto e CP instaladas há cerca de nove meses em várias estações e apeadeiros das linhas de comboios suburbanos do Porto (ou seja, Porto-Aveiro, Porto-Guimarães, Porto-Caíde e Porto-Braga) nunca funcionaram e muitas delas apresentam, já, sinais de degradação e vandalismo.

Em tudo semelhantes às caixas multibanco, as máquinas, ligadas è electricidade, estão colocadas em estações e apeadeiros em locais ao ar livre, como acontece com as que foram instaladas na estação da Granja e no apeadeiro da Aguda.

Como nunca funcionaram, os utentes da CP e do metro do Porto questionados pelo JN não puderam dizer que as máquinas lhes fazem falta, mas admitem que poder carregar o Andante e comprar os bilhetes da CP numa mesma máquina seria bastante mais prático.

Segundo Coutinho dos Santos, administrador-delegado dos Transportes Intermodais do Porto, se não houver constrangimentos, as máquinas deverão entrar em funcionamento a 1 de Março do próximo ano e substituirão as actuais, de venda automática dos bilhetes para os comboios suburbanos do Porto.

As máquinas permitirão, segundo aquele responsável, não só comprar e carregar o Andante, mas também adquirir um novo bilhete da CP em tudo semelhante ao Andante, ou seja, também passível de ser carregado, como já acontece com os bilhetes dos STCP.

Aliás, os bilhetes de assinatura dos STCP também poderão vir a ser carregados nas ditas máquinas.

Mudança demorada

Para já, essa função, a de comprar e carregar os títulos de transporte do Metro, CP e STCP num mesmo local ainda só é possível na chamada Loja da Mobilidade, na estação de caminhos-de-ferro de São Bento, no Porto.

Dadas as funcionalidades das tais máquinas, segundo Coutinho dos Santos, há que avançar com a uniformização de todo o hardware e software envolvido, de forma a que as máquinas, onde quer que sejam colocadas, estejam permanentemente ligadas ao sistema central.

"E isso não se faz de um dia para o outro. Não é possível colocar 92 máquinas em três ou quatro meses, isto quando tal implica a instalação de fibra óptica e até a ligação à rede de electricidade como acontece em alguns apeadeiros", explicou Coutinho dos Santos.

"Das 60 máquinas que já foram instaladas, algumas estão realmente ligadas à electricidade. Isso acontece porque estão em fase de testes", clarificou, explicando que as 32 restantes ainda não foram colocadas, já que a CP quer que fiquem instaladas exactamente no local onde agora estão as referidas máquinas de venda automática que irão ser substituídas.

Ao todo, tratar-se-á de um investimento na ordem dos 10 milhões de euros. Quanto ao estado de degradação dos equipamentos, Coutinho dos Santos afirmou que quando forem postos a funcionar irão estar em perfeitas condições.

in: www.jn.pt 1° página de 19 Dez/07

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Custom Search