09/09/2008

Transportes. Concentração cria segundo maior grupo nacional

Concessões rodoviárias situam-se na Beira Litoral e Minho

A criação do segundo maior grupo de transporte público privado a operar em Portugal recebeu finalmente luz verde, nove meses depois de anunciado. A joint-venture entre a Transdev, empresa francesa que tem a operação do Metro do Porto, e um dos maiores grupos nacionais de transporte de passageiros, a Joalto, foi aprovada pela Autoridade da Concorrência.

No entanto, o novo grupo, que tem uma presença forte no Norte e Centro do país, terá de alienar a terceiros concessões em sete percursos na Beira Litoral e Minho: as linhas regulares de transporte rodoviário de passageiros Arco de Baulhe/Cabeceiras de Bastos, Anadia, Mogofores, Aveiro/Ílhavo, Coimbra/Penela, Coimbra/Condeixa-a-Nova e Vila Seca/Coimbra.

A passagem para outra entidade da exploração destes percursos interurbanos foi o compromisso assumido pelas duas empresas para resolverem os problemas de concorrência resultantes da sua associação que foram identificados pelo regulador. Esta proposta foi considerada suficiente e adequados para superar a posição dominante detectada naquelas linhas pela Autoridade da Concorrência que, na semana passada, se decidiu pela não oposição ao negócio. Ainda segundo a decisão da AdC, a Transdev e a Joalto não poderão proceder à recomenda destas concessões no prazo de cinco anos após a sua transmissão para terceiros.

O negócio vai dar origem a uma empresa comum, a JV Sociedade, que será detida pela Transdev Participações e por 11 accionistas individuais que detêm, de forma directa e indirecta, o capital da Joalto. Para além da operação do Metro do Porto, a Transdev controla a Rodoviária da Beira Litoral, a Rodoviária Entre Douro e Minho, a Caima Transportes, entre outros, com um total de 588 veículos. O Grupo Joalto é composto por 16 empresas de transporte rodoviário de passageiros, activas nas beiras e conta com uma frota de 782 veículos. Para além da compra de empresas locais ou regionais de transporte rodoviário, a Transdev também tem mostrado interesse em gerir as empresas públicas de transportes, em especial a Carris, caso o Governo decida avançar por essa via.

'Joint-venture' chumbada

Com cerca de 14% do mercado em número de veículos, segundo dados de 2007, o novo grupo ficará logo atrás da Barraqueiro.

Esta empresa, que controla os Transportes Sul do Tejo, tem a operação do comboio na Ponte 25 de Abril (Fertagus) e o Metro Sul do Tejo. A Barraqueiro tentou em 2004 constituir uma joint-venture para o transporte de passageiros nas travessias do Tejo com os britânicos da Arriva, que foi chumbada pela Concorrência, que na altura recusou a proposta de cedência de carreiras entre as duas margens de Lisboa. A contestação a este chumbo ainda está a ser analisada em tribunal. Entretanto, o grupo britânico Arriva comprou 30,5% da Barraqueiro.

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Custom Search